quinta-feira, 19 de maio de 2011

Que tipo de mãe sou eu?

Imperfeita, claro. Como todas as mães que conheço. Mas a melhor que consigo.

Eu sou a mãe que não sabe quantos dentes tem o filho.
... que não acorda 200 vezes por noite para ir ver se ele está tapado. Agasalho-o, pronto.
... que faz questão que o filho se sente à mesa na hora das refeições. Brincar é na sala/rua, a cozinha é para comer, o wc para tomar banho e o quarto para dormir.
... que nunca adormeceu o filho ao colo por sistema. Deito-o e ele adormece. Se me chama, vou lá, se chora, vou lá, mas depois de o deitar não volto a trazê-lo para a sala, por exemplo. Nem que tenha de lá ir 100 vezes. No geral, não é preciso.
... que adora ler histórias e se entusiasma mais do que ele.
... que se envergonha quando lhe dá um berro. Nem sempre sou capaz de me controlar e quando lhe levanto a voz, morro de remorsos.
... que tem vontade de lhe dar uns açoites.
... que se enerva quando alguém tenta interferir na educação do piolho.
... que não acha piada a ver os miudos meterem na boca os brinquedos uns dos outros.
... que ajuda o filho a comer e não vê vantagens em dar-lhe uma colher para a mão e deixá-lo tomar banho de sopa. Só agora começo a dar-lhe essa liberdade, porque só agora senti que é o momento.
... que deixa o piolho dormir na avó e não sente culpa, mas que não seria capaz de o deixar com mais ninguém.
... que houve os conselhos dos médicos e profissionais de saúde, filtra a informação, mas põe o instinto em 1º lugar.
... que não compra iogurtes especiais-de-corrida.
... que não impõe horários de forma rigorosa, mas que respeita e faz respeitar as rotinas básicas
... que nunca deixou passar uma refeição sem sopa, mas que já recorreu às sopas de compra meia dúzia de vezes e aos boiões de fruta.
... que não obriga a comer e não insiste [muito], mas também não dá substitutos. Felizmente, não tenho do que me queixar nesse aspecto, até à data.
... que detesta que alguém [sobretudo pessoas de fora] lambuse o miúdo de beijos. Não gosto, nunca vou gostar. Não o obrigo a dar beijos a ninguém, mas é encorajado a cumprimentar toda a gente.
... que sempre repetiu as vezes necessárias as palavras "se faz favor", "desculpa", "com licença", mesmo quando ele era ainda um bebézinho. Hoje em dia, também ele as repete, sem nunca lhe ter ensinado ["desculpa" ainda não interiorizou].
... que fala correctamente com o piolho e não fala abebezado.
... que brinca, corre, senta-se no chão e não se preocupa se a roupa vai ficar suja.
... que tem vontade de bater em todos os miúdos que ignoram o piolho ou o fazem chorar no parque... mas não bate.
... que fica com o coração do tamanho de uma ervilha quando o piolho sofre.
... que fica com o coração do tamanho de um elefante quando ele diz "a mãe é meu".

Esta sou eu. Nem melhor, nem pior, apenas diferente de ti, de certeza :)

8 comentários:

anasantos79 disse...

És mãe a tua maneira!!

Identifico me com muitos(quase todos) que mencionastes!

obrigada pela partilha!
beijinhos & miminhos

Mami ( Sónia ) disse...

Estou como a Ana revejo-me em muitas das coisas que escreveste!
Somos todas diferentes, nem melhores nem piores!
Beijos

Mamã do Príncipe Pipoca disse...

Concordo com a Ana e com a Sónia eu também sou uma mãe à tua maneira, acho que a maternidade deve ser encarada como um processo de adaptação, nós a eles e eles a nós, só assim podemos ser todos felizes! Beijinhos

cuca disse...

Pelo que li não sou muito diferente de ti. Não existe uma educação perfeita, cada um educa à sua maneira pois o importante é sermos felizes.

Naná disse...

Eu sou uma mãe com ligeiras diferenças, mas no que toca a valores e regras sou semelhante! Mas por mais remorsos que tenha, por vezes tive que recorrer aos açoites...

Ni! disse...

Naná, não te sintas mal. O piolho também já apanhou umas palmadas na fralda e nas mãos. Não me orgulho, mas naqueles momentos em particular, pareceu-me inevitável e o mais indicado.

Tanita disse...

És a melhor MÃE que ele podia ter. E és uma Mãe real, sincera e que o ama muito. Ele sabe disso.
Bj**

Pirilampo M4gico disse...

Identifico-me pelo menos com 8 das coisas que disseste :)

Cada uma de nós é mãe à sua maneira, e somos as melhores mães que eles alguma vez podiam ter!!! :)