terça-feira, 3 de janeiro de 2012

A troika lá em casa

Pois que vamos mesmo ter de repensar alguns hábitos de consumo lá em casa. A partir deste mês, começa a entrar menos uma determinada quantia lá em casa, fruto de congelamento salarial. No mínimo, há que conseguir atravessar o mês poupando essa mesma quantia. Se não entra, também não pode sair.

Tenho visto a temática em vários blogs e acho interessante esta partilha de dicas e ideias para poupar. Não é nenhum bicho de 7 cabeças e, como eu costumo dizer, a crise tem o seu lado positivo. Que saibamos ganhar consciência das nossas limitações e viver com elas. Tenho a certeza que vamos descobrir muito consumo exagerado e dispensável.

Conto com as vossas ideias. Modelos de ementas semanais e respectivas listas de compras... Ideias de coisas que se possam fazer em casa em vez de comprar... you name it! O mote é poupar!

6 comentários:

mão da mãe disse...

aí está uma grande verdade... de certeza que há muita coisa em que podemos poupar, basta pensarmos bem e termos força de vontade... bjinhos

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Por cá tb vai ter ser ! As listas de compras vão ser uma constante e as ementas já são mas vão ser mais controladas

Naná disse...

Cá em casa, pretendo abolir sumos. Além de serem caros fazem mal à saúde e não acrescentam valor nenhum à nossa alimentação.

Loira disse...

Jantas esparguete com atum e almoças sandes de manteiga! para não dizeres que não contribui...

Tanita disse...

há pequenas coisas que pudemos mudar, como por exemplo o café que vais passar a tomar em casa e não na rua. Bj**

cuca disse...

"Que saibamos ganhar consciência das nossas limitações e viver com elas. Tenho a certeza que vamos descobrir muito consumo exagerado e dispensável." Duas grandes frases! Era bom que muita gente repetisse estas frases inúmeras vezes ao dia e refiro-me àquele ENORME grupo de pessoas da nossa geração que foi habituado a viver melhor que os nossos pais mas que vai viver pior do que eles. Uma dessas pessoas é o meu marido que foi mal-habituado, educado para dar valor ao materialismo e como ele há milhares de pessoas. Já eu fui bem educada (graças a Deus) e, para mim, poupar é uma questão de bom senso, não uma questão de pobreza.