terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Mãezite aguda e outras preocupações

O meu filho nunca foi um bebé dependente de colo. Aliás, ouvi muitas vezes a minha avó dizer "este garoto não gosta nada de colo." E era verdade, desde muito bebé, ficava sempre mais tranquilo na alcofa, depois na cama, espreguiçadeira, cadeira da pápa, chão... do que ao colo.

Também nunca foi um miúdo difícil de ficar com outras pessoas, sendo que essas outras pessoas eram sempre a minha avó e os meus pais.

Depois veio a escola e eu noto que ele se tornou mais agarrado a mim. Pode não ter a ver com a escola, mas apenas com a normal evolução, própria dos medos e anseios associados a esta idade, não sei, mas o que é certo é que ele sofre de uma enorme mãezite aguda de há uns tempos para cá. Também é certo que desde Setembro já ficou mais vezes doente do que na sua restante existência e noto algum agravamento desta dependência nos estados de doença e nos dias que se seguem.

O problema não é ficar na escola. Tem dias que fica bem, outros que fica a chorar. Na minha avó fica quase sempre bem, mas têm-se repetido alguns episódios de "não tens nada que ir tabaiaaaaaaaaar" à mistura com lágrimas e berreiro. Em casa, mesmo com o pai, não me pode ver desaparecer. Se vou tomar banho, estender roupa, cozinhar, etc e ele fica na sala, por exemplo, com o pai, está sempre a perguntar por mim e às vezes, quando a resposta não o satisfaz, fica nervoso e grita e não para de dizer "quero colo da mãe".

Também tem a parte gira. Diz-me coisas como "Mãe, tu és tãaaao fofa" ou "Minha querida mãezinha" enquanto me faz festinhas e dá beijinhos de esquimó.

Na escola, diz-me a educadora que é miúdo pacato, que se afasta de qualquer confusão, que se assusta com a algazarra dos outros. É calmo, prefere estar na dele, sem muitas confianças. Eu noto que se isola um pouco e, pelo facto de ser muito mimoso, acaba por estar mais com educadoras e auxiliares do que entretido com os colegas nas brincadeiras parvas destas idades. Isso preocupa-me. Tenho receio que se sinta inseguro, vejo que prefere isolar-se. Talvez ainda seja cedo para me preocupar com isto, mas corta-me o coração. É um miúdo com tantas capacidades, em casa canta e faz as coreografias e sente-se cheio de confiança, mas na escola... pelo que me é dado a observar (e nós não temos restrições de acesso ou horário às salas, casas-de-banho, refeitório) sinto que o meu filho tem pouca auto-confiança. Ou não, e eu estou a fazer filmes. Mas gostava de lidar melhor com isto. Nós transmitimos-lhe o melhor que sabemos. Por exemplo, se ele pede ajuda para fazer alguma coisa, a 1ª opção é sempre: "Vá, tenta fazer tu. Tu vais conseguir. Boa!" Se vejo que começa a ficar frustrado, ajudo enquanto lhe vou explicando como deve fazer. Incentivamo-lo imenso (imenso, digo eu) a ser mais independente, mas se calhar não o suficiente.

Pode ser só um filme da minha cabeça, mas isto hoje está-me aqui a atasanar o sistema nervoso e eu precisava de escrever. Não vou reler o que escrevi, talvez não faça muito sentido, mas fica o registo.

E os vossos miúdos? Também passaram/passam por fases assim? Os que entraram na escola mais tarde (2 anos em diante) tiveram dificuldade em "enturmar-se"?


7 comentários:

Maria disse...

Se o tema é mãezite aguda...o meu tem...e crónica...
O meu piolho só entrou no inicio do mes para a escolinha (e entretanto já ficou 1 semana em casa doente). Parece que ele vai para perto dos outros miudos, mas quando há alguma confusão ou por ex quando algum lhe tira um carro das mãos, o meu sai dali e vai para perto da educador...para já acho que precisa de tempo para se ambientar...
Tenta não stressar...ele ainda é tão pequenito (ahhhh isto de dar conselhos é um espectaculo!!)

Bjs

Ni! disse...

Maria, obrigada pela paciência de teres lido este post enoooooooorme e por partilhares comigo um pouco da tua experiência. Eu estava a precisar de processar isto e nada melhor do que escrevê-lo! Obrigada.

Naná disse...

Ni, minha querida, estas dúvidas e receios são mais que naturais, eu também os tive e em situações diversas: mudança de infantário, mudança de educadora no actual infantário.
No entanto, é bom estares atenta para perceberes melhor isto tudo, mas acho que é mesmo a maneira de ser do teu menino, que é um amor. Não quer isso dizer que não esteja bem e não se sinta feliz!

Rita disse...

Tenho 4 filhotes e todos entraram para a creche entre os 6 e os 12 meses. Os 3 mais velhos sempre mantiveram um percurso normal no seu desenvolvimento, sem mãezites agudas e sem dificuldades nos infantários. O mais pequenino (agora com 4 anos) tem muitas fases como as que descreves. Tem fases em que chora para ficar no infantário, tem fases em que pede imenso colo (ele sempre adorou colo), tem fases em que tem que me ter sempre por perto. Aquilo que eu faço é dar-lhe o que ele pede, tentando sempre tranquilizá-lo. Ou seja, não desdramatizo aquilo que ele sente, porque sei que está apenas a expressar a sua ansiedade. Por isso, quando ele quer colo eu dou-lhe colo, mesmo tendo 4 anos, mesmo tendo pessoas em meu redor que não concordem e que achem que o estou a mimar. Para mim, excesso de mimo é coisa que não existe. Se ele precisa de atenção extra ou de mimo extra eu dou! Claro que tudo isto acompanhado de regras e muito bom senso. Não sei se ajudei mas ficas com a minha experiência :)

Ni! disse...

Obrigada pelas vossas partilhas :)

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

O meu entrou na escola com quase 3!
E ai foi quando mais sofreu de mãezite aguda...e se por um lado eu tb o achei muito autónomo tb tenho os meus macacos na cabeça a pensar se na escola tb é sempre assim! E dps la a ducadora me acalma, mde diz que ele se safa muito bem e se dá bem com toda a gente.
Ele é tb um bocadinho espalha brasas mas na escola não é, pelo que diz a educadora ( e pelo que eu vejo quando lá vou a horas que não lembram a ninguem pq tb temos liberdade para tal) ele nunca está no centro das grandes algazarras, e eu sei que ele tb é mimado e que tem os seus amigos favoritos e tive (tenho) medo que quando algum desses amigos o rejeitasse ele sofresse com isso e temos tido o cuidado de o preparar para tal...Mas somos Mães, não estamos sempre lá, e por isso temos duvidas.

Beijinho Ni*

mão da mãe disse...

tudo muito normal... as crianças reagem de forma diferente, têm fases mais estranhas, mas a sua capacidade de adaptação é fantástica! tem calma...

btw, deixei-te um pequeno desafio no meu blog:
http://quatroparesdemaos.blogspot.com/2012/01/ha-uma-primeira-vez-para-tudo.html

bjinhos*