quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Prioridades à parte...

Ontem atrevi-me a ir à Loja do Cidadão, ao balcão da Segurança Social para tratar de pedir [finalmente] o abono pré-Natal. Pode pedir-se a partir das 13 semanas. Ora eu, como tenho muito tempo e pachorra para bichas [filas, entenda-se] andei a adiar, a adiar e só ontem é que tive coragem. Por outro lado, lembrei-me: "eh pá, com essa pança alguém há-de dizer-te que passes à frente"... NOT!

É uma coisa impressionante. Desde que engravidei e sobretudo desde que a barriga começou a crescer, noto que as pessoas têm tendência [muitas vezes irritante] a tornar-se subitamente simpáticas. Menos quando estão numa bicha, isso não, quero lá saber da tua pança, eu quero é despachar-me...


Eu não sou daquelas grávidas que chegam a qualquer lado e acham que têm de ser logo atendidas. Já cheguei a ser "ultrapassada" numa caixa de hipermercado por outra grávida, uma dessas parvinhas que devia achar que tinha mais prioridade que eu. Tudo isto sem discutir, até me ri. Se estiver um velhinho [ou alguém com algum tipo de dificuldade] à minha frente, sou incapaz de passar, mesmo que a menina da caixa o sugira.


Mas por amor dos santinhos todos... eu já nem falo na falta de sensibilidade dos camelóides que estavam com os seus cús alapados nas cadeiras, enquanto eu, de pé aguardava pacientemente a minha vez. Mas será que os funcionários têm talas como os burros? Será que tenho de ser eu a chegar-me à frente, armada em carapau de corrida? Sim. Ou é assim ou tás lixada. Lá tive eu de me dirigir ao segurança e perguntar se a Loja do Cidadão tinha algum tipo de política de prioridade para grávidas... foi quanto bastou.


Fui atendida de imediato [apeteceu-me fazer um arzinho insuportável e lançar olhares vitoriosos a todos os merdosos e merdosas presentes, mas abstive-me].


Por isso, tomei uma resolução: a partir de agora vou tirar partido da minha barriga em qualquer circunstância. E pena tenho que já só faltem umas semanas. Se eu soubesse o que sei hoje tinha começado logo a andar com o teste de gravidez na carteira.

4 comentários:

Naná disse...

Pois eu também achei que não tinha nada que me armar em esperta e no dia que fui à Loja da Segurança Social pedir o dito abono, por teimosia minha, perdi duas horas à espera... mas também fiz finca pé e jurei que não ia usar a barriga como pretexto. Já nos hipermercados uma vez esperei pacientemente na caixa com prioridade para grávida, eu com uma barrigona enorme e 5 pessoas à minha frente que nem ligaram e a empregada da caixa via-me e fazia que não me via. Eu esperei e no fim só lhe disse: sou eu que tenho que pedir? e a gaija ainda teve a lata de me dizer que não me tinha visto.
Doutra vez, quando pedi a prioridade novamente numa caixa prioritária a senhora da frente não se importou porque achava que eu só tinha as duas coisas que eu levava na mão, mas assim que viu o carro de compras que o papá trazia, começou a reclamar e a bufar por todo o lado, ao que eu fui pondo as coisas lentamente no tapete só para a irritar ainda mais, para não ser parvalhona!...
Infelizmente, há pessoas que não têm civismo nenhum com os outros, mas quando lhes toca a favorecê-los a eles, podes crer que abusam!

Loira disse...

Ola!
Obrigada pelo teu comentario no meu blog. A tua taxa so é revista de ano a ano? A minha é de 3 em 3 meses, tem sido alegrias trimestrais ;)
Parabens pelo bebé!
Eu pedi o abono pelo site da segurança social directa e foi muito rapido, fiquei surpreendida! :)
Beijinhos
Loira

Ni! disse...

É isso mesmo Naná...

Loira,
A minha é revista de 6 em 6. Esta foi a primeira revisão.
Já me arrependi mil vezes de não ter tratado disso via internet, acredita!
Beijinhos

Li Fresca disse...

Ó Ni, passei pelo mesmo nas 2 vezes! Infelizmente o Civismo de algumas pessoas deixa muito a desejar. Uma vez na Segurança Social, fui com o meu marido e estivemos mais de 2 horas á espera. Quando perguntei á sra se não tinha prioridade ela responde que só tinha que me pôr á frente de qualquer caixa. Queria ver as outras pessoas se eu fizesse mesmo isso. Outra vez, no supermercado, deixei-me ficar na fila, mas a menina da caixa mandou-me passar á frente. O que ela foi fazer?! Ouvi umas barbaridades de uma parva "gravidez não é doença", "não tás é habituada a fazer nada" e por aí fora...
Também me aconteceu andar em pé no bus...
Não deixes de aproveitar a tua barriga, o tempo passa a correr...
Beijos
Li